Grupo de mulheres contra Jair Bolsonaro é recuperado


Fonte: www.noticias.r7.com

bolsonaro, grupo

bolsonaro, grupo
Reprodução/Facebook

O grupo “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro” voltou ao ar na tarde deste domingo (16) depois de ter sido hackeado e ficado suspenso. 

Em nota oficial, as administradoras do grupo afirmam que o espaço está em manutenção e foi recuperado. Leia a nota na íntegra:

“Desde o ataque ao grupo “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro”, observamos uma enorme mobilização das mulheres, inclusive com a criação de novos grupos com o mesmo objetivo. Nossa semente foi plantada. Apoiamos todos os grupos que disseminando o mesmo ideal antifascista e contrário ao mesmo candidato ao qual fazemos frente de resistência.

Informamos que o grupo “Mulheres Unidas Contra Bolsonaro” foi recuperado e está em manutenção. Não fomos deletadas e seguiremos retornando, somos incansáveis. Não vão nos calar.
#elenao”

Às 12h43 deste domingo, o grupo tinha 2.487.414 participantes, sendo que todas elas são mulheres (cis ou trans). O grupo é administrado por 11 mulheres. 

Ataque hacker

Um suposto integrante, com perfil de nome Carlos Shinok, alterou o nome do grupo para ‘Mulheres com Bolsonaro #17’ por volta das 20h30 de sábado (15). 

Quando o grupo foi invadido, o responsável trocou o nome e também excluiu as administradoras, impedindo que arrumassem as informações trocadas pelo hacker. 

Homens adicionados ao grupo comemoram a situação “hackers desse meu Brasil! Amo vocês! O grupo Mulheres contra Bolsonaro, agora se chama, Mulheres COM Bolsonaro KKKKK”.

Enquanto novos posts a favor do candidato do PSL eram publicados na página, usuárias tentavam acalmar umas as outras.

“Meninas, não saiam do grupo, só mudaram o nome”, afirmou uma internata. “Vamos manter a unidade, força e cabeça fria. Estou vendo aqui os ataques constantes e tentativas de fascistas infiltrados de causarem enfraquecimento e confusão. Não vamos permitir”.

Fonte R7 Notícias Clique Aqui para LER MAIS
Author: Giuliana Saringer, do R7

Have any Question or Comment?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *